Arquivo da categoria: Crônicas

Almas leves

Ela vinha de do outro lado da cidade e era para estar se sentindo exausta do dia de trabalho,da viagem de ônibus,do caos em que se encontrava.

Tinha problemas demais para resolver e então,para fugir deles dizia a si mesma que eles não existiam.Rota de fuga que muitas vezes não funciona mas que para ela dava certo.

Não que simplesmente ignorasse o que precisava ser resolvido.Ela resolvia a seu modo,a seu tempo.Dizia que se focasse em um problema por vez o solucionaria mais rápido pois assim usava toda a sua energia em uma única coisa.E assim acontecia.

Se tinha contas a pagar e o valor do salário ficava menor que os boletos juntos,tudo bem.Vou pagando um por vez e logo,logo saio dessa,pensava a moça.E ela conseguia.

Costumava dizer que os problemas não são problemas mas sim lições.Se temos que parar naquela área da vida para resolver algo mais é por que é ali temos que nos aprimorar.Esse era o seu lema.

Ainda tinha o sonho de fazer balé,ainda tinha o sonho de conhecer a Disney,ainda queria ir a cidade vizinha passear de Maria Fumaça,sonhos grandes e alguns outros sonhos considerados bobos.Mas era feliz na sua realidade,no seu modo de ver o mundo.

Sorria para as pessoas desconhecidas mesmo quando a cabeça doía ou o sapato apertava os pés.Sentia-se tão feliz quando comia pipoca no parque que dizia estar flutuando.

Era felicidade sem motivo,incompreendida.Ninguém entendia mas também,ninguém perguntava.Afinal,no fundo era um exemplo a ser seguido:conseguia ver com bons olhos até o pior dos momentos.

Tinha um coração puro,ás vezes ingênuo,porém genuíno.Acreditava na bondade de todos,tinha fé em Deus ou qualquer outro nome que se dê ao algo maior.

Chorava com a alma.Tanto de tristeza,como de alegria. Orgulhava-se de cada passo que dava e ficava contente com as conquistas dos outros.

Sentia sempre o coração quentinho,assim como chá que adorava beber.

 

Anúncios

Afinal,o que é o amor?

Muita gente fala em amor.Que é bom amar e ser amado e eu não discordo.

Mas existem infinitas formas de se expressar um sentimento,muito além de um abraço,de um beijo.

Não estou falando aqui,somente do amor homem mulher no exemplo citado acima que usa beijos e abraços para se manifestar.O amor aos pais também pode usar dos mesmos recursos para transparecer.

Mas tem gente que não é “dado a carícias’ e mesmo assim ama,sofre,se envolve,se enaltece pelo outro,aquele bem próximo e aquele distante.

Esse sentimento tão exaltado pelo ser humano pode se manifestar de maneiras tão diversas e inesperadas que chegam a nos fazer parar para refletir.

Aquele que ajuda o mais necessitado,saindo de sua casa numa noite gelada á procura de quem não tem nada para se proteger levando consigo mais que um simples agasalho ou cobertor quentinho.Essa pessoa leva consigo amor,compaixão,atenção e benevolência.

Aquele que tira um animalzinho maltrato,chutado,machucado,arisco e assustado da rua também ama,quer cuidar,quer fazer algo mais.E sabe que mesmo não recebendo  gratidão em palavras,será recompensado.

Aqueles que se mobilizam diante de uma tragédia e não medem esforços para enviar o mínimo de conforto a quem não conhece,as vezes tão longe de sua realidade,transcende tudo o que pode haver de pior na humanidade.

Aquele ou aqueles que travam verdadeiras batalhas para livrar um homem,uma mulher de um vício seja ele em drogas,seja ele em bebidas,seja  queda pela jogatina ou seja qualquer outro vício.Pois mais do que tirá-los daquele meio,o foco maior acaba sendo levantá-lo,conduzindo-o de volta a sua família,seu círculo de amigos,á sociedade,enfim á vida.

Aquele pai ou mãe que se levanta diversas vezes na noite ou então nem se deita para checar a temperatura do filho e envelhece mais de depressa de preocupação,simplesmente ama.Ama incondicionalmente.

E mais tarde,quando o tempo já passou e os papéis se invertem e aquele filho ou filha que foi embalado com tanto carinho e dedicação,fica á postos na beira do leito do hospital cuidando de seus pais,orando e pedindo á Deus pela cura e retorno deles a casa….que á morte se desvie,não os visite…está retribuindo o que?Amor e nada mais.

Ame seus pais,um dia eles irão embora.Não importa como você irá demonstrar esse amor,apenas ame.Sua mãe,seu pai,seu irmão,seu amigo,seu cachorro  ou papagaio irão entender ainda que nada for dito.

Ame seu próximo naquela moeda que você possa deixar no chapéu do mendigo,no prato de comida que você pode oferecer e agradeça por sua condição ser melhor que a do outro.

Ame não criticando,não condenando,não reclamando.

Está calor demais?Incomoda muito?Eu sei,incomoda.

Tome um sorvete,vá para a sombra se você pode fazer issoO calor tem sua razão de ser,por mais insuportável que ele esteja.

Está frio demais?Se agasalhe mais,o frio é mais fácil de ser contornado e torno a dizer:agradeça pelo moletom quentinho e limpinho que você tem mais que não é a situação que muitos enfrentam nas ruas.

Está sem dinheiro?Venda o que não te serve ou não usa mais  para frente.Mas faça isso sem apego.Deixe ir,”livrar-se” do passado também é uma forma de agradecer e amar o que te fez feliz um dia e hoje pode fazer outra pessoa igualmente feliz.Isso faz as energias boas circularem,acredite.E passe a economizar um pouquinho todo mês,do jeito que der mas faça.Isso também é amor,sabia.A si mesmo e ao fruto do seu trabalho.Sem exageros,ninguém está falando de “pão durismo”,mas de precaução.

Isso também é amar-se.

Doe aquilo que não pode ser vendido mas ainda tem serventia.Ajudar faz bem.

Faça isso mas sem alardes.O bem e amor não precisam de propagandas para se espalharem,apenas de ações.De boas ações.A vida te recompensará,pode ter certeza disso.

Ame não julgando o diferente,não aumentando a contenda mas se afastando dela e refletindo se o que há por trás dela não é falta do amor ou simplesmente a falta de luz (quem vem do amor) no coração de ambos os lados.

Dedique uns minutinhos do seu tempo junto ao seu namorado ou namorada,marido ou esposa,ajude-o (a) no que for preciso.As vezes só ouvir já basta,não é tão difícil assim…mas se for preciso,treine,treine e treine.Todo dia um pouquinho.

Quando perceber,já terá se tornado rotina.

Há amor quando você respeita a opção do semelhante em pintar o cabelo de roxo,em ser de tal tribo,de ser o que ou quem ele quer ser.

Há amor,quando se respeite a natureza,o trabalho humilde do gari que varre a rua  e você decide andar dez metros a mais com o papelzinho em mãos e o joga na lixeira.

Mais do que uma simples gentileza,existe amor quando você passa a sua vez para o velhinho no banco e honra aqueles cabelos brancos de quem já viveu mais que você e consequentemente,sabe mais que nós.Sim,nós.Você leitor ou leitora e eu que aqui escrevo.

Enfim,amar é isso ou tudo isso.É um pouquinho disso no dia a dia,na vida inteira.

Amar não é só beijar,abraçar,se enroscar no seu parceiro.

Isso é ótimo também!Não vou dizer que não!

Mas amor é mais que isso.

Amor é cuidar,querer o bem,torcer,rezar,acompanhar,estar por perto quando for preciso,é respeitar,enfim…amor é muito mais do que as palavras podem tentar dizer.

 

 

 

 

 

 

 

 

Perguntas da vida e seus acasos

Tem dias em que a gente para para pensar:será que estou no caminho certo?”E se eu fizesse tal coisa,escolhido passar por outra rua,conhecido outro alguém,feito tal curso e não o que fiz…como estaria minha vida HOJE?

Não sei você,mas ás vezes me pego pensando essas coisas…e se eu tivesse ido para tal escola na quinta série ao invés de ir para que fui?Será que teria feito mais amigos?Será que eles seriam meus amigos até hoje?O que a vida teria me reservado?Qual curso eu teria escolhido na faculdade?Eu teria feito faculdade?

E se eu,ao invés de passar pela esquina de baixo,tivesse escolhido a de cima para ir ao mercado?Eu teria visto aquela vitrine em promoção?Eu teria revisto uma pessoa mega importante da minha infância?Eu teria tomado chuva?

E se eu ao invés de sair do banho e ir ver televisão eu tivesse ido secar meu cabelo?Eu não ouviria o aparelho tocar e não atenderia  aquele telefonema….será que o “destino” me fez sentar na sala e para ser eu á atender?

E se eu não tivesse respondido aquela piadinha de mal gosto?Ou então,se eu não tivesse engolido aquele sapão verde cheio de verrugas?E falado o que precisava ser dito?

E se meu trabalho fosse outro?E se eu fosse mais alta,mais baixa ou morasse em outro estado?Meus vizinhos fossem outras pessoas?Se eu tivesse mais irmãos?Ou menos irmãos?Ou fosse filha única?Tivesse nascido em outra família?

Enfim,parece bobagem mas,me pego pensando nessas perguntas sempre que a vida dá uma virada de 360º graus e põe tudo de pernas para o ar.

Minha vida,já virou de ponta cabeça e desvirou diversas vezes.Estava tudo bem e de repente,tudo veio a baixo.Algumas quedas foram maiores que as outras e o tempo para levantar foi de acordo com o tamanho do tombo.

Mas de tombo pequeno ou grande eu me recuperei.Todos nós nos recuperamos,ainda bem. 🙂

Vez por outra,a vida te dá uns sustos bons.Aquele emprego tão almejado mas ainda visto como distante,aquele presente meio (mais que) inesperado,ser sorteada (o) e ganhar um prêmio,conhecer alguém melhor e descobrir que esse alguém é mais especial do que parecia ser,até mesmo encontrar dinheiro em bolso de casaco também é um susto muito bom!

O fato é que nossa vida é marcada por pontos que nos fazem crescer e amadurecer constantemente.

Também me pergunto sobre as coincidências da vida.Por que ás vezes ela dá voltas e voltas e cai no mesmo lugar?Por que ás vezes as pessoas vão,com a intenção de não mais voltar,e voltam para a mesma situação?Por que ás vezes o cenário muda mas os personagens não?A vida ás vezes é tão enigmática…não acha?

Isso também é algo que deve acontecer com muita gente além de mim,acredito eu.

As perguntas sobre nosso nós que não querem calar.

Quando acontece disso,desses acasos para e penso qual é a lição a ser aprendida.

No que eu posso crescer e no que eu estou precisando me esmerar.Se aquele fato,aquele acontecimento foi só um fato,um acontecimento ou se aquela mudança repentina de itinerário ou de palavra a ser falada não quer me trazer um ensinamento para me aprimorar naquela área que não desenvolvi como devia.

São nos acontecimentos do dia a dia que nossa biografia é escrita,são nos pontos mais fortes que devemos parar e analisar nosso caminho,se é essa mesmo a estrada a ser trilhada.

São nos acasos que nos fazem refletir se a escolha é mesma a certa,se não é a vida nos dando mais uma chance de mudar nossos rumos e seguir nova direção.

São nos “e se…” que podemos fazer de novo ou não.

Sim,eu sei,nunca saberemos como seria determinado caminho quando escolhemos a outra opção.

São nossas escolhas que fazem de nós quem somos. E as lições quando bem percebidas e absorvidas nos avulta!

Os pontos são para serem lembrados e os acasos para serem matutar.

 

 

Plano de uma noite de verão

A semana passou tão rápido.Mais uma semana se foi e toda a tarefa foi bravamente cumprida.

Hoje é sexta-feira!É dia de se libertar do trabalho,do uniforme e das obrigações do dia a dia.

Ela imaginou durante os últimos cindo dias a noite de hoje.Quer estar linda e para isso comprou um lindo vestido floral e pretende usar a sandália do ano novo.Já marcou de passar no salão depois do expediente a caminho de casa.

A festa será mágica,como todas as outras festas como essa que já foi.

E só de saber disso ela fica radiante,ofegante e ansiosa pela noite.”Chega logo seis da tarde!” pensa enquanto de sua mesa, olha o relógio pendurado na parede.

As amigas já sabem dos planos e também estão em polvorosa,ajeitando vestidos combinados-os aos sapatos.

Todo mundo espera que seja um evento daqueles,pois o organizador da festa é craque no assunto e sabe como ninguém ser lembrado e falado por dias após o acontecimento.”Sem contar que é lindo!Meu Deus,como ele é lindo!”pensa nossa heroína,no que solta um sorriso bobo.

Então o dia vai se encerrando e ela saí apressada em busca de um táxi pois, á essa hora os coletivos estão abarrotados e tendem a não parar nos pontos por conta disto.Ela consegue e segue sua viagem rumo ao que parece ser o paraíso.

Depois da escova e das unhas no salão,toma um demorado banho como quem parece querer lavar a alma.Vai se arrumando,escolhe cuidadosamente a pulseira e os brincos,se maquia,se veste,usa o melhor perfume e vai.

No trajeto,passa mensagens as amigas e diz que essa noite é dela.

Com brilho nos olhos,chega ao local e sorri por dentro.Encontra alguns conhecidos,os cumprimenta,chega no balcão e pede uma bebida azulada e se esquiva de uma cantada.Embora esteja realmente linda por que hoje,os planos são outros.

O cenário encanta logo de cara,com luzes e rosas brancas no chão,cortinas voam com o vento abrindo espaço para ela passar.Isso a faz se sentir bem,meio que desfilando ela se imagina e solta mais um sorriso bobo no meio de tanta gente que sorri de volta sem entender nada.Tudo é  meio escuro,meio claro,meio clean e meio pesado.Dá para sentir aconchego nos sofás lotados de almofadas e inquietude pois estão aumentando o som.

“É aquela música.A minha música!” ela diz a si mesmo em outro pensamento.

Ela toma um gole de sua bebida,abre passagem entre desconhecidos e se joga.Quer dançar,quer esquecer os problemas,quer se divertir.

Quando se dá conta,o novo dia já começa a despontar no horizonte,o sol começa a raiar,muitas pessoas já foram embora.Ao sair do salão passar por espelhos,para e olha seu reflexo num deles.Com a maquiagem escorrendo e o cabelo já não tão liso,oferece a si mesmo o seu maior e melhor sorriso e percebe que seus planos para aquela noite tão quente deram certo:ela foi feliz.Incrivelmente feliz em sua própria companhia.

 

 

Sonhadora

Então,ela sonhava.Sonhava com o diploma da faculdade de engenharia ou talvez de psicologia,com o curso de francês,inglês,alemão e de libras,com a viagem á Tóquio ou Roma,com o casamento pomposo e caro,com o sapato vermelho de salto que havia visto na vitrine mais cedo,sonhava com o bolo de chocolate da mãe.

Sua profissão era ser sonhadora.Mergulhava em seu mundo e nele ia longe.

Conhecia muita gente,fazia amizades em estados e países diferentes.Imitava vários sotaques e sabia falar diversas línguas.Fazia muitas fotos que tinham cada vez mais,mais e mais curtidas nas suas redes sociais.

Possuía diversas habilidades:fazia embrulhos de presentes e flores de tecido,como ninguém.Sabia coser,uma raridade nos dias de hoje!Peças lindas,sinal de seu bom gosto.

Cozinhava bem,dirigia bem e dançava ainda melhor.Não tinha medo de altura,nem barata,nem do escuro,nem do fim do mês.

As crianças a cercavam e os idosos a adoravam.Os vizinhos e seus cães a cumprimentavam alegres.A família a mimava sempre que a via.

Sua presença era uma festa!Sua risada era inconfundível e seus olhos transmitiam força e serenidade ao mesmo tempo.

Despertava paixões declaradas e platônicas.

Também era admirada por sua fé,por seu altruísmo e por ser uma profissional excelente naquele ramo.

Sabia dizer o que os outros queriam e precisam ouvir na hora que os outros queriam e precisa ouvir.

Sabia escutar também.

Enfim,tudo era perfeito naquele mundo tão cor de rosa…

Mas daí,ela voltava a si,virava na cama,coçava os olhos e lembrava que mais um dia ia começar,com trânsito,muito barulho,almoço requentado e sorrisos vazios no caixa do supermercado…